terça-feira, 5 de janeiro de 2010

Assim é na natureza

As abelhas sem ferrão vivem em ninhos onde se abriga a sociedade. O ninho é como uma casa há lugar para tudo, eles são encontrados, de acordo com a espécie, em locais bastante diversos, havendo aquelas que constroem ninhos subterrâneos, dentro de cavidades preexistentes, formigueiros abandonados, entre raízes de árvores. Outras constroem ninhos aéreos, presos a galhos ou paredes como a irapuá ou a sanharão.


Mas como no caso da nossa Tiúba a maioria das espécies, constrói seus ninhos dentro de cavidades em ocos variados existentes nos troncos ou galhos das árvores. Estas espécies, que utilizam cavidades em madeira, podem devido ao avanço do homem sobre o seu habitat ser encontradas em cavidades existentes em muros e paredes de alvenaria e nos mais variados locaisonde encontram espaço e segurança suficientes para o desenvolvimento da colônia (postes, caixas de força, armários, pedreiras,etc.), como acontece comumente com a jataí, a iraí e a mirim. Algumas espécies fazem ninhos dentro de cupinzeiros como acontece com a cupira. Os ninhos das várias espécies têm entradas típicas, com arquitetura relacionada com o tipo de defesa do ninho. A Entrada normalmente é característica para cada espécie ou gênero (em muitos casos é possível a identificação das abelhas a partir da entrada do seu ninho).







Então essa pequena introdução sobre as abelhas no seu habitat natural, foi para apresentar uma colônia do meliponário alencar que ainda está na sua residência original mais precisamente em parte dela, já que era parte de uma árvore que foi derrubada, as estantes para caixas já estão cheias, então o tronco foi acomodado sobre umas cadeiras tá bem confortável rsr. Na região oeste do Maranhão onde meus pais moravam a "facilidade" em desmatar é um prato cheio para os grandes madeireiros pois não encontram muita fiscalização por parte das autoridades e a oferta de mão-de-obra barata é grande, já que o trabalho na extração da madeira é praticamente a única opção de renda para muitas famílias, é um ciclo econômico muito infeliz...

Mas como combater o desmatamento é uma missão quase impossível e o debate dá muito pano pra manga, pelo menos tentamos convencer as pessoas que estão nessa atividade a observar se nos troncos das árvores existe alguma colônia para que possamos resgatá-la, isso foi feito com muitas das colônias que temos hoje. Esse tronco é o único do meliponário que ainda não foi transferido para caixa racional, inicialmente pensamos em deixá-lo como está para mostrar aos visitantes, no entanto o manejo é muito complicado, impedindo as multiplicações e a alimentação artificial ,para essa colônica em especial só através de alimentador externo, por isso é provável que nos próximos dias esse enxame seja transferido do tronco para uma caixa racional e assim receber os devidos cuidados.

Nesse vídeo vocês podem observar como a fome tá grande, é só colocar algumas gotinhas de xarope na entrada e logo elas lambem tudo:

video

Francisco Carlos Alencar
Meliponário Alencar
São Luis-MA

domingo, 3 de janeiro de 2010

Como preparar iscas pet

Alô amigos, estou de volta! Um feliz 2010 para todos \o/ meio atrasado mas tá valendo...Muita saúde, paz e prosperidade para todos nós!
Bem a ausência do blog foi devido as festividades, que graças a Deus não foram poucas rsrs. Mas vamos voltar com tudo com as atividades melipônicas, começando com um ótimo vídeo do Globo Rural, para quem deseja aumentar o número de enxames sem agredir a natureza, o processo é feito através da utilização das iscas pet confiram:

video

Fonte: http://video.globo.com/Videos/Player/Noticias/0,,GIM1073810-7823-COMO+AUMENTAR+A+CRIACAO+DE+ABELHAS,00.html

Valeu e até mais!

Francisco Carlos Alencar
Meliponário Alencar
São Luis-MA
 
© 2009 Meliponário Alencar. All Rights Reserved | Powered by Blogger
Design by psdvibe | Bloggerized By LawnyDesignz Distribuído por Templates